Como tudo começou

Foto apresentacao
Ana e Pri em 1997

Nos conhecemos no colégio e somos amigas de busão, voltando para casa. Dessas que ficam brincando de Adoleta e todas as variações possíveis. Já caímos na mesma classe, já fizemos quinhentos mil trabalhos em dupla e acho que esse blog é mais um deles. Deve ter batido saudade.

Com a Pri passando um tempo na Alemanha por conta do doutorado sobre o português como língua de herança, surgiu a ideia de tentarmos juntar a teoria à prática. Desde que esse plano surgiu, passamos um bom tempo “quebrando a cabeça” sobre como poderíamos concretizá-lo. Até que, um belo dia, a lampadazinha da ideia acendeu para a Ana – a parte criativa da dupla:

– Priiii!!! Preciso falar com você urgente!!! Tive uma ideia! Mas preciso falar logo antes que eu desista. O que você acha de fazer um blog? A gente tenta juntar a teoria da língua de herança com a prática, já que temos um mini modelo, e acompanhamos o desenvolvimento assim ao vivo! O que você acha?

– Gostei da ideia! Vamos fazer!

Pronto! A partir desse momento, a Ana já sabia que não teria volta: a Pri é a parte persistente da dupla.

A gente sempre brincou que o bebê da Ana acabaria virando “objeto” de pesquisa da Pri.  Não é exatamente o que vai acontecer, mas queremos relatar o desenvolvimento do Oliver de uma maneira gostosa e descomplicada, com a qual vocês possam se identificar. =) Torcemos para que ele não fique bravo com a gente quando crescer!

img102
A duplinha